Free songs
Vilhena, Rondônia, - E-Mail conesulnoticias@hotmail.com

Página inicial / Capa / Vandalismo: 10% da arrecadação do Saae são gastos em reparos de ações de baderneiros

Vandalismo: 10% da arrecadação do Saae são gastos em reparos de ações de baderneiros


Notícia publicada em 11 de julho de 2018

Contando atualmente com uma arrecadação de R$ 1,4 milhão por ano, o Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) trava uma batalha diária contra vândalos na cidade. Todos os dias são gastos, em média, R$ 410 para consertar encanamentos estragados, canos cortados, hidrômetros destruídos ou bombas roubadas. Por ano, o montante soma até R$ 150 mil, ou seja, pouco mais de 10% da arrecadação do órgão durante todo o ano.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

SAMSUNG CAMERA PICTURES

“Quando você tem que mobilizar uma equipe de técnicos apenas para reparos de estragos feitos por baderneiros você percebe que as coisas não estão indo bem”, revela Maciel Wobeto, diretor da autarquia. “Em vez de estarmos evoluindo no saneamento, aumentando nossa rede ou melhorando nossos equipamentos, estamos todos os dias correndo atrás do prejuízo causado por vândalos”, conta.

 

Há 13 anos na instituição, Maciel já presenciou todo tipo de ataque contra a rede de água e esgoto. Lidando agora com a gestão do Saae, o técnico afirma que o déficit de servidores, as dificuldades de caixa e os gastos elevados com energia fazem as contas do Saae serem extremamente apertadas. “A taxa de lixo, reduzida por força das autoridades, não cobre nem 50% do custo da coleta. Assim, temos que remanejar o dinheiro dos impostos da água. Isso nos gera um prejuízo de R$ 100 mil por mês”, explica.

 

Em meio aos problemas, lidar com pessoas que desejam destruir a rede de água torna tudo mais difícil, segundo Maciel. No entanto, com a instalação de câmeras na cidade e com a ajuda de moradores, é possível identificar alguns dos atores. Geralmente atacando na madrugada ou tarde da noite, os vândalos prejudicam a eles mesmos. “O os custos com vazamento de água, pessoal técnico de reparo, equipamentos, material e aparelhos para recuperar os pontos quebrados por baderneiros acabam sendo incluídos na conta de água, obviamente. É lastimável”, completa o diretor.

 

VIGILÂNCIA E CONSCIENTIZAÇÃO – O diretor do Saae pretende iniciar uma campanha de conscientização, bem como buscar parcerias com os presidentes de bairros, vigilantes noturnos e empresas de monitoramento para tentar amenizar o problema.

 

Semcom

 

Comentários

Faça seu comentário

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos requeridos são marcados *

*

Ir para o topo